ANÁLISE SENSORIAL COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DA QUALIDADE EM CACHAÇA

Nos últimos anos o setor da cachaça vem se profissionalizando cada vez mais. Podemos perceber através das várias marcas que trazem inovação e tradição de qualidade com produtos diferenciados e que visam agradar e satisfazer o paladar cada vez mais exigente do consumidor.

O aumento da qualidade em geral é um reflexo da capacitação e conhecimentos que os produtores agregam com estratégias e habilidades adquiridas por meio de ciência, tecnologia, pesquisas, eventos, feiras, congressos, cursos e conexões em geral. Contudo, vemos ainda uma enorme necessidade de união da cadeia produtiva e fortalecimento do tema no cenário nacional e internacional.

A ciência sensorial tem o papel fundamental de criar elos e conexões do produtor ao consumidor, entregar e agregar valor e conhecimento com oferecimento e disseminação de informações e instrução em relação às cachaças de qualidade. Aromas e sabores são mais difíceis de serem detectados com rapidez, pois envolve o reconhecimento cerebral a partir da ativação da nossa memória sensorial. Neste caso, muitas pessoas possuem maior dificuldade de reconhecimento de aromas e sabores em bebidas, por exemplo. Sommeliers possuem uma facilidade maior para detecção rápida devido ao elevado tempo de treino e trabalho na área. O desenvolvimento e padronização de descritores sensoriais da aguardente são importantes para ampliar técnicas de qualificação da bebida e impulsionar maiores investimentos em qualidade.



A Roda Sensorial da Cachaça é uma ferramenta visual para determinação de perfil descritivo rápido. O uso da roda é destinado tanto para provadores experientes que exercem atividade profissional em análise sensorial da bebida como também, para formar novos degustadores e avaliadores. Sua finalidade é ativar a memória sensorial e fornecer termos descritivos, padronizados e organizados.

A importância do conhecimento aprofundado sobre o processo de produção fará com que o profissional capacitado em análise sensorial seja indispensável dentro de uma destilaria e durante as etapas do processo, contribuindo para o gerenciamento de sistemas de Controle e Garantia da Qualidade desde a moagem, fermentação, destilação e processo de envelhecimento da bebida.

Neste cenário também poderá contribuir para a auxiliar o Master Blender na formulação e elaboração de blends que consideram a complexidade, equilíbrio e harmonia do produto final envelhecido em diferentes madeiras.



222 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo